Comédias de Sempre

Textos novos toda segunda e sexta as 18:30h!

Eu e o Blog


  Tenho atualmente vinte e seis anos de idade. Sou professor e educador. Amo crianças, cachorros e chocolate. Odeio adolescentes e azeitonas. Sou adulto, mas ainda não sei direito o que é para fazer.
   Escrevo desde os onze anos, porque eu era uma criança antissocial e solitária. Hoje continuo antissocial. Um pouco menos solitário. Ainda criança quando se fala em chocolate.
   Amo aproveitar a vida em minha mansão ou em meu iate contando meus milhões enquanto o despertador não toca.
  Tenho umas histórias para contar. O desafio do leitor é descobrir quais realmente aconteceram e quais são apenas crônicas criadas pela minha cabeça. E de vez em quando posto umas aleatoriedades também, mas prometo que um dia terei um emprego!

   Sobre o Blog:
   Não tenho certeza se é uma boa ideia. Mas gosto dessa fonte. Então dane-se, vou escrever assim mesmo.
   Pelo título do blog, acho que muitos pensaram se tratar de um blog autobiográfico. Mas, não é para ser isso. Acho que até vou contar algumas histórias aqui, talvez até decepcione umas pessoas, mas não é para ser totalmente isso. Se fosse falar da minha vida, mais da metade do que eu poderia escrever aqui não são coisas exatamente bonitas. Das coisas que eu já pensei em colocar numa autobiografia digital que escrevesse algum dia, pelo menos 30% são traumas e outros 40% são bizarrices. Ou seja, do tempo que você perdesse lendo minha autobiografia, 70% seria melhor aproveitado lendo livros de youtubers.
   Então, resolvi escrever sobre algo que tenho muito a dizer, e que acho que pode ser legal de passar para as pessoas. Ao menos mais legal que tudo o que posto no Instagram e no Twitter, e a militância política de bar que faço no Facebook (eu realmente tenho uma grande autoestima), que são algumas das crônicas e histórias que escrevo de vez em quando.
   Vou ter que censurar alguns nomes quando as histórias forem reais ou baseadas em coisas que realmente aconteceram. A grande maioria para proteger essas pessoas. De mim. Ninguém merece que as pessoas saibam que eu as conheço ou que as considero amigas. Na escala de comer mulher isso faz o cara perder 30 pontos. E não conheço ninguém com mais de 45.
   Também vou censurar alguns nomes simplesmente porque são feios. Desculpa, Roniscleidino. Nada contra se você se chama Roniscleidino. A não ser que você seja o Roniscleidino que eu conheci, aí eu sinto muito por você.
   “Ah, mas você não pode falar nada! Com 15 anos você disse que ia colocar no seu filho o nome de Pneumoultramicroscópicosilicovulcanocaniótico da Silva só porque viu na televisão e achou bonito!”. Verdade, querido hater. Obrigado por lembrar. Ninguém vai zoar o meu moleque na escola por causa desse nome. Não sem conseguir pronuncia-lo.
   Enfim, posso prometer qualquer coisa sobre esse blog, menos que ele é bom. Na realidade, a minha única ideia é contar algumas histórias que gosto de escrever de vez em quando, as vezes baseadas em fatos reais que a vida sempre coloca.
   Quero esclarecer que nunca usei drogas. Nunca me ofereceram, apesar de eu não ter morado muito longe de uma vendinha. Acho que me viam na rua e já achavam que eu tinha um estoque. Coisas da vida.
   Então é isso. Espero do fundo do meu coração que você aprecie este livro. Ou que, pelo menos, me perdoe!

   Maciel T.